Sobrinho gay de Malafaia revela podres da família do pastor e deixa igreja perplexa

UOL / Veja
Anúncio

Rodrigo Westermann está causando grande polêmica nas redes sociais. Ele é sobrinho-neto do pastor evangélico Silas Malafaia. No entanto, Rodrigo não segue mais o meio evangélico. Muito pelo contrário, o rapaz é homossexual assumido e, na internet, tem criticado o tio famoso.

Em uma publicação feita na internet, Rodrigo diz que desde cedo foi criado no meio evangélico, mas que não era aceito pelo fato de ser homossexual. O rapaz sofreria supostos castigos por ser gay e, afim de ser aceito, teria namorado algumas meninas. Hoje Rodrigo vive com outro homem e se diz muito feliz.




Rodrigo diz que o sobrenome “Malafaia” é difícil de descer pela goela e que cresceu apanhando. As supostas surras e castigos teriam levado o rapaz a ter problemas. “Com 13 anos entrei em coma alcoólico por 2 dias depois de inúmeras doses de insulina acordei do nada, um milagre de um Deus que me ama como eu sou”, disse ele ao comentar a situação.

O rapaz lembra que a igreja teria pregado preconceitos contra ele, mas que seu Deus o ama e aceita da forma que ele é. O rapaz ainda critica o que chama de fundamentalismo, no qual as religiões deixam de pregar o “amor’.




Veja abaixo o post feito pelo sobrinho-neto do pastor Silas Malafaia, que está dando o que falar na internet:

View this post on Instagram

Eu fui criado no evangelho, quem me conhece a muito tempo sabe muito bem, meu nome é Rodrigo Westermann M a l a f a i a último nome do qual é difícil de me descer na goela. Cresci apanhando e ficando de castigo por tudo, inclusive por estar com sono as 7 da manhã e não querer ir na igreja. Ok, serviu como disciplina, me considero uma pessoa bem disciplinada. Mas esse suposto cuidado de vocês poderia ter me levado a tantos lugares ou mesmo me tirado a vida. Com 13 anos entrei em coma alcoólico por 2 dias depois de inúmeras doses de insulina acordei do nada, um milagre de um Deus que me ama como eu sou, é claro, segui bebendo e muito e sim eu tinha apenas 13 anos. Prometi mil vezes mudar, arrumei namoradas de mentira, fugi de casa, apanhei mais muitas vezes. Mas um Deus (longe do Deus vocês pregam) me tirou dessa vida hipócrita, mentirosa e cheia de preconceito e ódio. E acreditem esse meio evangélico é muito pesado, não é só o mundo como é pregado. Eu sozinho me forçei a parar de achar todo mundo errado, menor, endemoniado, ou qualquer coisa do tipo. A igreja pregou TODOS os preconceitos a mim, com ódio. Assim como meu parente vive pregando, o qual não preciso nomear. Eu sou muito abençoado de ter saído disso SOZINHO, ou melhor, por Deus. A minha conexão com Deus é muito maior do que vocês ditam. Passei por depressão, perdi o maior amor da minha vida, sofri um relacionamento abusivo, fui ameaçado de morte, sobrevivi, depois de me sentir seguro e melhor tive crises de ansiedades bem fortes que poderiam ter me levado a morte, e é isso mesmo A MORTE. E nunca duvidei ou me revoltei com ele. Mas ninguém da minha família estava lá, ninguém soube (além do meu irmão que eu pedi ajuda) e da minha mãe que cuida de mim TODOS OS DIAS. A religião cega vocês e o amor que vocês pregam é infelizmente FALSO. Isso não é amor. E graças a Deus, eu tenho muito amor em mim e ao meu redor. Eu vou casar com a pessoa que mais cuida de mim e me faz feliz na vida e não recebi um LEGAL de ninguém da minha família. Quer saber? Com toda educação: FODA-SE sua crença.

A post shared by RODRIGO MALAFAIA (@rodrigowm) on




O assunto repercutiu na internet. “Ro, é mt louco pensar q te vi com 15 anos ficando de castigo por ser quem você era, namorando com colegas pq assim vc seria mais aceito e eu não entendia direito pq aquilo acontecia… mas hoje eu fico feliz de coração de te ver bem, realizado, LIVRE”, disse uma das amigas do rapaz ao comentar o assunto.


Fonte: 1 News / UOL / VEJA

Comentários